Por que aprender a liderar?

By in
Por que aprender a liderar?

Não deixa de ser uma repetição da história sairmos de uma fase de presidentes militares, para uma de políticos de esquerda e retornarmos a um presidente de origem militar (1).

O que há por trás desse longo ciclo?

Do mesmo modo que, se você não refletir sobre sua carreira no longo prazo, não preservará suas conquistas, se uma organização não o fizer, seja ela uma empresa ou um país, também não obterá resultados duradouros.

Entretanto, a reflexão sobre o futuro é uma capacidade humana e, portanto, quem é a pessoa que o fará com esse propósito? A resposta é: o líder. Ou seja, aquele que, não apenas pensará a respeito disso, mas conduzirá as pessoas, e a si mesmo, para que tenham resultados duradouros.

É possível a um indivíduo qualquer sentar na cabine de um Boeing 777 e pilotá-lo de maneira segura até o destino? Obviamente que não. Ele terá de estudar muito e ser treinado por instrutores altamente capacitados por milhares de horas de vôo até poder fazer isso.

O mesmo ocorre com os líderes de uma empresa. Se eles não estudarem muito e não forem treinados, cedo ou tarde, a derrubarão.

Portanto, a organização que tiver a melhor maneira de capacitar seus líderes com consistência e constância, vencerá no longo prazo.

Por essa ótica, não é surpreendente sairmos de uma fase militar, para uma fase de esquerda e retornarmos aos militares. Afinal, as forças armadas possuem as melhores escolas de preparação de seus quadros e, consequentemente, de seus líderes. A AMAN – Academia Militar das Agulhas Negras – é um exemplo. E, entre outros, há também o ITA – Instituto Tecnológico de Aeronática – ligado ao comando aeronáutico.

Já o movimento comunista internacional, representado no Brasil principalmente pelo PT e demais partidos de esquerda, forma constantemente seus intelectuais, militantes e ativistas políticos, em uma corrente que dura mais de um século. (2,3,4,5)

Portanto, essas são as únicas escolas que estão formando com sucesso seus líderes.

Apenas como exemplo, os presidentes americanos de 1985 até 2018 foram das seguintes origens: um economista (6), um cientista político/especialista em relações internacionais (7), um historiador (8), um jurista (9) e dois militares (8,10).

Esse contraste mostra que nossas universidades têm fracassado sistematicamente não apenas na formação de profissionais, mas também de líderes. Provavelmente porque só estão preocupadas com a formação dos líderes mencionados anteriormente.

E essa incompetência de nossas academias é sentida nas empresa.

Embora existam em algumas companhias centros de treinamento para formação e aprimoramento de seu quadro técnico, a maioria carece de estrutura, com um plano organizado, atualizado e eficaz de formação constante de seus gerentes e diretores. O resultado disso é que a experiência, o conhecimento e as capacidades de previsão, planejamento e ação ficam comprometidos e desarticuladas.

Por esse motivo, as empresas não são capazes de reter seus ganhos de anos virtuosos e sucumbem nos períodos de crise. E não conseguem prever ambos.

Portanto, o resultado duradouro de qualquer empresa é diretamente proporcional ao preparo de suas lideranças.

Para formá-las, as organizações devem ter clareza dessa necessidade permanente e estabelecer estruturas e planos continuados de desenvolvimento de gerentes e diretores.

Os indivíduos que desejam fazê-lo por conta própria, devem procurar centros e profissionais experientes e qualificados para os auxiliarem a se transformar em líderes – mentores e coaches principalmente.

Somente desse modo teremos os líderes que precisamos nas empresas. Líderes que aprendam a desenvolver sua capacidade de gerir pessoas, operações e negócios e a gerar resultados duradouros.

Algo fundamental para as organizações, mas também para as carreiras de todos nós. E, é claro, para o Brasil.

Vamos em frente!

 

(1)Mesmo no curto período do mandato de Fernando Collor de Melo, lembremos que ele foi destituído por uma coalisão de esquerda e por motivos que foram refutados posteriormente no STF. O que significa que o poder nesse período continuava nas mãos dos movimentos de esquerda. Ver em https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2014/04/24/maioria-dos-ministros-do-stf-absolve-collor-por-falta-de-provas.htm

(2) Isso é feito, por exemplo, por meio de ideias oriundas da Sociedade Fabiana, da Escola de Frankfurt, e por organizações que orientam suas ações, como o Foro de São Paulo e disseminadas por universidade federais e estaduais. Portanto, a formação de líderes  para o movimento é uma constante histórica.

(3) Escola de Frankfurt: http://www.ifs.uni-frankfurt.de/institut/ , https://www.iep.utm.edu/frankfur/#H4 ; https://www.marxists.org/subject/frankfurt-school/index.htm

(4) Sociedade Fabiana: https://fabians.org.uk/ (observe que a página inicia orgulhosamente com: “O futuro da esquerda desde 1884”). Compares suas ideias com a ação do PSDB no poder.

(5) Foro de São Paulo: http://forodesaopaulo.org/ ; https://archive.org/details/forodesp2

(6) https://en.wikipedia.org/wiki/Donald_Trump#Early_life_and_education

(7) https://en.wikipedia.org/wiki/Barack_Obama#Education

(8) https://en.wikipedia.org/wiki/George_W._Bush#Education

(9) https://en.wikipedia.org/wiki/Bill_Clinton#Law_school

(10) https://en.wikipedia.org/wiki/George_H._W._Bush#Early_life_and_education

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *